home

Diário de Bordo

Lápis Raro
Lápis Raro
Ver todas

Computação cognitiva e realidade cada vez mais “mêo, isso é muito Black Mirror”

Categorias:

Compartilhe:

Computação Cognitiva

Se você assistiu às três temporadas de Black Mirror e considerou aquela realidade muito distante da nossa, prepare-se para a computação cognitiva: um termo que parece ser complicado, mas é uma revolução que começa a ganhar força nos últimos anos e vai mudar completamente a nossa relação com a tecnologia. 

Afinal, o que é a computação cognitiva?

Muito tem se discutido sobre o assunto, mas basicamente estamos falando de máquinas e bancos de dados com capacidade de receber, interpretar e produzir informações num sistema de aprendizado lógico em grandes proporções.

Mas como isso acontece? A computação cognitiva permite que sistemas operacionais de computadores, eletrônicos, smartphones e qualquer outro dispositivo com acesso à informação tenham a capacidade de aprender de acordo com os hábitos de quem os utiliza, produzindo outputs com base em um grande volume de referências.

O processo é similar ao que acontece com uma criança no desenvolvimento de sua formação absorvendo tudo que está acontecendo ao seu redor: aprende a língua com a vivência em família, a andar, começa a ter preferências e juízo de valores, só que em velocidade e capacidade de processamento incomparáveis ao cérebro humano.

E a computação cognitiva na prática?

Uma das empresas que lidera a prototipação de produtos com base em computação cognitiva é a IBM. A empresa desenvolveu o Watson – um supercomputador nutrido com uma infinidade de perguntas e respostas das mais diversas áreas de conhecimento. O mecanismo é o centro para várias derivações e tem versões focadas em medicina, música, robótica, educação infantil, dentre outros.

Para atuar em casos de tratamento de câncer, por exemplo, o Watson lançou recentemente o Watson Oncology, um grande banco de dados abastecido com uma enorme quantidade de informações médicas, pesquisas, estudos, históricos de pessoas curadas e de perdas. Ao inserir os dados de um paciente em específico e o seu diagnóstico atual, o sistema realiza uma busca, indicando as melhores opções de tratamento para o caso com a probabilidade de eficiência para o diagnóstico específico do enfermo.

O Natural Language Classifier, já disponível para utilização, permite avaliação de frases, parágrafos e textos com sugestão de melhorias semânticas e de raciocínio escrito. Para a área jurídica, uma das soluções do Watson é capaz de analisar qualquer processo em consulta a um determinado conjunto de leis e casos semelhantes, indicando ao juiz possibilidades de interpretações, otimizando tempo na avaliação de páginas e páginas de documentos.

E assim, surgem as modalidades das casas com serviços de customização do proprietário, carros autônomos que vinculam trajetos à temperatura do ar condicionado e a música adequada ao motorista e episódios de séries escritos inteiramente por inteligência computacional de acordo com roteiro da temporada. Apesar das tendências indicarem que algumas profissões correm risco de deixar de existir com a computação cognitiva, não dá para negar os benefícios do recurso em um dia a dia cada vez mais automatizado.

Vale registrar que a participação humana continua tendo um papel crucial no processo, tanto no favorecimento quanto na curadoria da informação que esse grande sistema gerencia. Entre androides e ciborgues, tudo isso só faz sentido se as pessoas estiverem em primeiro lugar.

E aí, curtiu de saber um pouco mais sobre computação cognitiva? Comente com a gente o que você acha sobre o assunto e até a próxima! :)

Comente aqui

» Comentar

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.

Comentários:
0

R. Antônio de Albuquerque, 156 — 12º andar — Funcionários
Belo Horizonte MG — Brasil — CEP: 30112-010
Fone: +55 31 3211-5100 — Fax: +55 31 3211-5172
e-mail: contato@lapisraro.com.br